Atraso final de condução pela divisão superior do ramo direito.

S.O.C., 26 anos, assintomático

 EXPLICAÇÃO:

O ramo direito origina-se a partir da ramificação do Feixe de His, orienta-se do subendocárdio do septo direito, em direção ao ventrículo direito, emergindo na base do músculo papilar anterior e ramificando-se em três subdivisões: superior, média e inferior.

A divisão superior localiza-se entre a região ântero-superior do septo direito e a parede anterior do VD.

A divisão média localiza-se na região ântero-inferior do septo direito.

A divisão inferior localiza-se entre as regiões póstero-inferior e ínfero-posterior da parede livre de VD. Há situações em que essas subdivisões podem bloquear isoladamente, causando o que alguns chamam de “Bloqueio Divisional do Ramo Direito”, e outros, talvez mais corretamente, chamam de Atraso Final de Condução pelo Ramo Direito.

Sob o ponto de vista eletrofisiológico, todavia, o ramo direito comporta as divisões súpero-anterior e ínfero-posterior.

Se a progressão do impulso estiver prejudicada em uma dessas regiões, ultrapassará o tempo de inscrição do QRS normal e terá sua despolarização manifestada ao seu final. A despolarização correspondente irá atrasar e surgirá após a despolarização do ventrículo esquerdo, que, dessa forma, não lhe fará oposição elétrica -  como normalmente ocorre.

Como a divisão superior do ramo direito origina forças orientadas para cima e para a direita, o atraso na condução por essa divisão produz um vetor terminal assim dirigido, que irá produzir ondas S em D2, D3 e aVF, além de onda R terminal em aVR, S terminal em V6 e em D1.

 

SIMULA BDAS:

Tal disposição, em muito se assemelha ao bloqueio divisional ântero-superior, dele diferindo por um detalhe marcante: como tais forças terminais orientam-se algo paralelas à derivação D2 e algo perpendiculares à derivação D3, produzem, obrigatoriamente, onda S em D2 maior que a onda S de D3 - exatamente o INVERSO do que ocorreria, caso fosse um BDAS. <  

Keywords: 
bloqueio divisão superior ramo direito